Tyvek, o não-tecido

Ocksa

É engraçada a relação emocional que temos com as roupas. Lembro com carinho até hoje de uma peça que meus pais tinham nos anos 1980, quando eu era criança: uma jaqueta (de zíper e com capuz) feita no material chamado Tyvek, que é um não-tecido da DuPont que parece papel.

Tyvek foi descoberto em 1955 no desenvolvimento de tecnologias de barreira seletiva, e serve desde então para proteção e segurança em várias aplicações, como envelopamento de edificações e capas de aviões cargueiros.

O que foi adotado pela moda foi o equipamento de proteção, pode ser leve e durável, flexível. Além disso, absorve pouco ou nada de umidade, é forte e resistente a rasgos, além de 100% reciclável.

Usado originalmente por operários industriais e trabalhadores que lidam com materiais perigosos (chumbo, amianto e mofo), é livre de películas ou laminados que sofram atrito ou desgaste.

Conversei com três marcas que trabalharam recentemente com Tyvek para descobrir o porquê do seu charme!

Dedé Bevilaqua, da Básico.com.

Por que trabalharam com Tyvek?
Memória! O Tyvek está na minha memória desde os anos 1980, quando a Coca-Cola fez uma jaqueta promocional e eu não a tirava do corpo. Desde então o material sempre voltava até mim. É um material incrível tecnologicamente, com propriedades avançadas para atender exigências, por exemplo, o surto do ebola no mundo! E, justamente pelo fato de a DuPont não ter o mercado de moda como foco, fica ainda mais sexy. Além do mais, o material se encaixa perfeitamente no vestuário: impermeável, resistente, aspecto super clean, moderno entre outros.

Já haviam usado este material antes?
Apesar de ensaiar algumas vezes, ainda não estávamos preparados para bater o martelo.

Qual os atributos para quem usa e para quem cria com Tyvek?
Para que usa é leve como uma palha, se dobrado ou amassado, por exemplo, uma jaqueta cabe na palma da mão. Para quem faz dá um pouquinho mais de trabalho, porque as fábricas enxergam o material como papel e não tecido.

Podem sugerir algumas opções de uso dessas peças?
As peças estão no melhor e mais básico espectro de cores do universo: preto e branco. Então não fica difícil combinar! Nos acessórios pensei em algo que pudesse ser usado no dia a dia, sem precisar trocar a bolsa, para ir à feira por exemplo, pois foram feitas para aguentar peso. A jaqueta é um quebra-vento, uma capinha de chuva, para deixar pendurada no hall de casa e não esquecer nunca de levar.

Deisi Witz e Igor Bastos, da Också

A marca que desfila na Casa de Criadores fez uma linha limitada para a multimarcas à Urban Shop, de três peças com letras pintadas à mão pelo artista-escritor Lechô em etiquetas removíveis. Tem uma jaqueta ampla com bolsos utilitários, jaqueta corta-vento e calça de agasalho feita em moletom do avesso.

Por que trabalharam com Tyvek nesta colaboração e se já haviam usado este material antes?
Igor Bastos – Esta colaboração foi apresentada durante o nosso último desfile na Casa de Criadores, que apresentou diversas peças em Tyvek. A ideia foi mesclar esse material na coleção com a à Urban, por ser um material que se assemelha visualmente ao papel e pela resistência que tem contra líquidos. Foi o material ideal para que o Lechô pintasse as etiquetas a mão.

Qual os atributos para quem usa e para quem cria com tyvek?
O Tyvek é um material impermeável, respirável e muito leve, no uso industrial ele é ótimo para proteção contra resíduos químicos, no nosso caso é excelente para desenvolver peças impermeáveis. Inicialmente parece ser um material difícil de trabalhar, devido ao aspecto similar ao papel, mas conforme fomos desenvolvendo percebemos que ele tem um ótimo caimento!

Pode sugerir algumas opções de uso dessas peças?
Desenvolvemos na nossa última coleção parkas, jaquetas bomber, camiseta, calças, pochetes… Como falei, o material tem um caimento muito bom, se tornou um material versátil!

Na Osklen, Oskar Metsavaht tem um trabalho bem próximo com o Instituto-E em apresentar novas alternativas de consumo consciente e uso de materiais sustentáveis na cadeia de moda e pela indústria têxtil.

Atualmente, recebem o selo E-fabrics mais de 20 diferentes categorias de materiais de origens recicladas, orgânicas, naturais e/ou artesanais e desenvolvidas por comunidades, cooperativas ou por grupos industriais.

O Tyvek é um deles. “É um material empapelado, leve, flexível e resistente à água. Considerado um dos ‘tecidos do futuro’, ele é um polietileno desenvolvido por um processo que utiliza menos energia que os demais materiais sintéticos, 100% reciclável e atóxico,” explica o material de divulgação do projeto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

trendy posts

Search